Pular para o conteúdo principal

Air Liquide tem desempenho consistente em 2016 após integração da Airgas

A Air Liquide, líder mundial em gases, tecnologias e serviços para a indústria e saúde, divulgou os resultados referentes às suas atividades em 2016. As receitas do grupo cresceram 14,6% em relação ao ano anterior, somando mais de 18,135 bilhões de euros. O lucro líquido também evoluiu e somou 1,844 bilhões de euros, 5% a mais na comparação com 2015. Entre os destaques do ano, está o processo de integração da Airgas, adquirida pelo Grupo em 2015.

2016 Principais Indicadores  2016 Destaques
Receita do Grupo: +14.6%
18,135 bilhões de euros
Airgas: Conclusão da aquisição em Maio de 2023; refinanciamento e alienação de ativos fixos nos Estados Unidos; fusão das atividades em 1 de outubro; primeiras sinergias realizadas.
Lucro Líquido (Ações do Grupo) +5,0%
1,844 bilhões de euros
NEOS: Implantação do novo programa do Grupo para o período de 2016-2020.
Receita Líquida por ação: +2,4%
5,11
euros
Novos contratos nos mercados em crescimento: energia (China e Argentina), espacial (Europa), purificação de biogás (Europa).
Dividendo proposto para 2016 +2,7%
de 2,60 euros por ação
■ Atribuição de
1 ação gratuita para cada 10
Gestão de portfólio de negócios: Alienação da Aqua Lung; venda da Air Liquide Welding em análise; aquisições por parte dos setores Healthcare e Comércio Industrial.
Fluxo de caixa: +30,5%
3,7 bilhões de euros
Inovação e Tecnologias: Novo Centro de Pesquisas e Tecnologia (Xangai); instalações para armazenagem de hélio puro (Alemanha) e de hidrogênio (Estados Unidos); projeto da fábrica da futura “vitrine tecnológica” certificada (França).

 

Ao comentar sobre os resultados de 2016, Benoît Potier, Presidente e CEO do Grupo Air Liquide, declarou:

“Com a aquisição da Airgas, uma conquista importante do ano passado, o Grupo deu um grande salto nos âmbitos de sua expansão geográfica e da ampliação de seus mercados. O seu desempenho em 2016 (incluindo-se a Airgas em parte do ano) foi consistente com aumento da receita, do lucro líquido e do lucro por ação, apesar da moeda desfavorável e dos impactos da energia.

Dentro do contexto de um crescimento global moderado, a atividade foi sustentada por maiores volumes no setor das Grandes Indústrias, pela força do setor Healthcare e pelos mercados promissores atendidos pela nova entidade, Mercados e Tecnologias. Em termos comparativos, todas as regiões apresentaram crescimento, favorecidas pelo forte desenvolvimento das economias emergentes.

O Grupo continua a gerar ganhos em eficiência, aos quais foram somadas as sinergias da Airgas neste ano. O balanço financeiro é sólido, reforçado pelo aumento significativo do fluxo de caixa e pelo sucesso do aumento de capital, restringindo, assim, o débito a níveis mais baixos do que o previsto.

Com a integração da Airgas e a implantação do programa NEOS para o período de 2016 a 2020, a Air Liquide está implantando a sua transformação, que associa investimentos industriais objetivados, desenvolvimento digital e inovações para o crescimento nos próximos anos.

Pressupondo um cenário comparável, a Air Liquide está confiante na sua capacidade de proporcionar um crescimento do lucro líquido em 2017”.

Resultados por segmento

A receita do Setor Gás e Serviços em 2016 foi da ordem de 17,331 bilhões de euros, um aumento de +17,5% com base nos dados publicados versus 2015.

As economias emergentes apresentaram um crescimento sólido 2016, com o Setor Gás e Serviços realizando receitas de até +8,0% em bases comparativas.

No geral, as receitas de todos os negócios do Setor Gás e Serviços apresentaram crescimento em base comparativa, à exceção do Setor Comércio Industrial, que permaneceu retraído.

O setor Grandes Indústrias, cujas receitas aumentaram +5,4% em 2016, cresceu em todas as regiões, favorecido pelas startups e pelo aumento significativo das unidades de produção localizadas principalmente na Alemanha, Polônia, Américas e China.

Após a aquisição da Airgas, a receita do setor Comércio Industrial apresentou um aumento de quase +45% em 2016. Desconsiderando-se a Airgas, esta atividade sofreu redução de -1,6% em base comparativa.

O setor Eletrônicos cresceu 4,3% em 2016, mantendo fortes vendas no primeiro semestre.

A receita de Healthcare apresentou um aumento de +11,2%, incluindo-se a contribuição da Airgas através de suas vendas de gases medicinais para hospitais. Em base comparativa, as vendas subiram expressivos +4,9% influenciadas pela forte demanda por Assistência Médica Domiciliar e pelas vendas significativas do setor de Higiene (+15,1%). A receita apresentou aumento em todas as regiões, inclusive um aumento de dois dígitos nas economias emergentes.

A receita do setor Engenharia e Construção foi de 474 milhões de euros (uma queda acentuada de 38,0% em termos comparativos a 2015), tendo sido afetada negativamente pela desaceleração de grandes projetos relacionados à energia e pelo pequeno volume de novos projetos.

A receita do setor Mercados Globais e Tecnologias alcançou 330 milhões de euros, um aumento de +13,6% em base comparativa. Esse crescimento foi impulsionado principalmente pelos segmentos Espacial, Biogás e Marítimo.

______________________________________________________________

Air Liquide Brasil

A Air Liquide Brasil é uma das maiores empresas de gases, tecnologias e serviços para a Indústria e a Saúde do país, onde está presente desde 1945. Empregamos mais de 1.200 profissionais, distribuídos em mais de 73 localidades que atendem mais de 80% dos estados brasileiros. Inovamos em mais de 64 setores, da indústria até a saúde hospitalar e domiciliar, atendendo às crescentes demandas do país e as necessidades de nossos clientes com comprometimento de longo prazo. Em 2016, a receita da região das Américas correspondeu a 6,230 bilhões de euros, o que representa 34,3% do faturamento total do Grupo.

Baixe o documento